domingo, 9 de agosto de 2009

COMANDANTE ALEMÃO


Com Felipe Klamt

Como não sentir saudades do meu Pai, que bom ter tido uma figura como Illmo na minha vida.

Com o seu estilo bonachão e com um bom humor que pouco se encontra nas pessoas, contava histórias puxando mais para causos.

Trabalhador incansável e apaixonado pela aviação. Acredito que ficou mais lá em riba do que neste conturbado chão, foram mais de cinqüenta e cinco anos de decolagem e aterrissagem, parou aos setenta e cinco anos e pelos nossos cálculos voou mais de cinquenta mil horas.

Talvez tenha sido uma das testemunhas mais privilegiadas da nossa historia política, econômica e social, pelo seu comando aéreo passou as figuras mais interessantes, as menos também, os acordos que mudaram as faces do poder nos municípios e no estado. Poderia ter sido um aproveitador, tamanha a intimidade com os poderosos, escolheu ser feliz e independente.

Acredito que a constante labuta para manter as suas opiniões com a livre escolha custou muito caro nesta terra que todos tinham de baixar a cabeça e dizer sim senhor. Foi perseguido comercialmente quando acreditou no sonho, melhor no engodo de um político que saiu do ninho feudal e utilizou a esquerda para suas conquistas. Coisas do Maranhão que vai acabar. Lamentavelmente ele não vai poder comemorar conosco.

Quase todos os dias encontro pessoas que falam do nosso comandante alemão que era apaixonado pelo nordeste, pelo seu povo e mesmo sendo sulista apreciava um bom peixe frito. Sempre tem uma historia nova, pode ser da pericia em pilotar ou da sua generosidade e simplicidade.

Esta semana passei pensando que neste domingo não poderei desejar um feliz Dia dos Pais, estou triste, mas entendo que a sua decisão em vir para o Maranhão a mais de quarenta anos não foi somente uma conquista empresarial, foi um fato que influenciou a trajetória dos seus filhos.

Valeu.

3 comentários:

Cintia disse...

Querido mano.... fiquei muito emocionada com as maravilhosas e verdadeiras palavras sobre nosso pai. Viajei no tempo e revi a história de toda a nossa trajetória, difícil, mas da qual podemos nos orgulhar. Sem dúvida, nosso pai escolheu o caminho da verdade, honestidade, integridade e trabalho. Custou-lhe caro, mas serviu de exemplo para nós, filhos, e para seus netos, filhos de seus filhos. Valeu, pai...........Beijo mana Cintia

CASA DE ARTES disse...

Felipe,falar de seu pai é lembrar de energias boas;o tempo que pude conviver com ele e todos da familia guardo maravilhosas lembranças.Nunca esqueço que eu era a única que brincava chamando ele de CORONELO e ele não ficava com raiva e sempre se preocupava comigo. Sinto saudades!!! ele é tudo isso que vc escreveu e muito mais...beijos,Lilica...CORONELA...

Rubi disse...

Bah, o que dizer de meu Tio Ilmo, que eu o admirava muito e o amava, como amo todos da família Klamt.Passei momentos inesquecíveis no Maranhão, tenho linda lembranças e entre elas estão as viagens de avião que fiz com meu tio, fantásticas viagens para um guri que sonhou em ser aviador e até hoje admira qualquer avião que levante vôo, por mais simplório que isso possa aparecer para muitos.Guardo com muito carinho uma vez que voei junto com o tio e na volta ele me deixou pilotar o avião, entregou-me o manche e mandou-me apenas seguir um instrumento enquanto ele ia lendo o jornal, pura emoção ! Grande Tio Ilmo, para o céu fez seu último vôo, quis Deus que o fizesse sozinho, sem seu avião, onde estejas mando-lhe um grande abraço querido tio, saudades !