segunda-feira, 5 de abril de 2010

DIABÓLICO CINISMO

Com Felipe Klamt

O cinismo deve ser uma doença do poder, um dos sintomas está em verificar qual a constância que este governo judicial tenta enganar a população.

Ficou evidente que os deputados passaram pelas secretarias para somente viabilizar a eleição de alguns da turma de ocupação, não havia a obrigação de fazer uma grande gestão, talvez um bom caixa eleitoral.

Um governo acuado, como o da Roseana Sarney, tem pavor de enfrentar os movimentos sociais e principalmente os sindicatos que podem promover a paralisação dos principais setores do poder estadual.

A propaganda não está funcionando, a pressão política não assusta mais ninguém, talvez os cargos não seduzam como antigamente e o dinheiro público não faz mais os olhos brilharem, tem a PF de olho. Grande problema para quem sempre foi incompetente.

Estamos assistindo na televisão o governo apelar a todos os santos para os professores não entrarem em greve.


Anunciando previamente que deram aumento, trouxeram institutos, contrataram milhares professores, reformaram e estão construindo mais de 200 escolas.

O ponto principal da possível greve está na tentativa de golpe no estatuto do magistério.

O aumento foi merecido, a vinda dos institutos serviu para encobrir a inoperância da gestão, depois à culpa vai ser do Sena, não contrataram nem a metade dos professores necessários e ainda não apresentaram a lista das escolas reformadas.

Muito menos vai mostrar qual o local que construiu a primeira escola, muito menos a última. Não existe nenhuma construção, pois eles não gostam do povo letrado.

Talvez seja à hora de convocarmos uma junta médica, formada por psiquiatras e neurologistas, para podermos entender se o permanente desvio de conduta é um tipo de doença crônica ou mais uma armação contra os mestres da educação.

Com imagem blog Filosofias da Meia Noite

Um comentário:

Jorge Alves disse...

Olá, Felipe!
Parabéns pelo artigo!