sábado, 26 de junho de 2010

SOU FLÁVIO E CONTÍNUO NA LUTA

"Estou pronto para o enfrentamento eleitoral,
que venham eles"

Com a palavra Flávio Dino em 26.06.2010

Com foto Felipe Klamt - Encontro dos Partidos de Esquerda - 14.05.2010 - Açailandia - MA

Um comentário:

Ricardo disse...

Um quadro de análise:

As manobras de marketing político utilizadas por essa forma de ofício político tradicional utilizadas por Roseana e os seus são frutos do quadro crítico de crise de representação política que nos encontramos há tempos na democracia brasileira, visto que estes se colocam como único caminho, último biscoito do pacote, a última eleição, a única alternativa, o salvador do grupo, individualismo contemporâneo onde se liquefazem os valores ideológicos e políticos tudo num pacote só de projeto individualista.
As evidências são constrastantes, trata-se de uma total crise de representação política que se difunde aqui no Estado entre o executivo, o legislativo e o judiciário e extravassa pela mídia e outras instituições públicas e privadas.
Contudo, o quadro de crise de representação política dá sinais de falência desde o pleito eleitoral de 2006, quando grande parte do cenário político no Norte e Nordeste foi modificado, de modo que no Maranhão não foi diferente.
Contudo, manobras sorrateiras típicas de quadros que não sabem lidar com a democracia representativa, porque se preparam com a concessão de tvs, rádios e jornais para permanecer no poder em busca de 15 minutos de fama ou eternamente, atuam na constituição de valores que não são os seus.
Todavia, tais manobras não sabem lidar com a explosão dos mass media da década de 90 e que hoje os aflige, pelo paradoxo em tentar silenciar a opinião pública e a mídia independente e por outro lado, utilizar-se da imprensa marrom para ficar em evidência.
A disseminação das péssimas avaliações sobre a forma do político, do ofício político tradicional é incontrolável, irresistível e irreversível, visto que inviabiliza com vigor a permanência destes sujeitos em crise no poder, pelo menos no Norte e Nordeste, onde ventos de preferência pela mudança vem se fortalecendo nos últimos anos.
No Maranhão, vislumbra-se uma eleição entre os males da democracia brasileira, do individualismo, da liquefação dos valores ideológicos e políticos contra a retomada e fortalecimento da busca da política como possibilidade, que o ofício político tradicional expressos por indivíduos como Sarney, Roseana e sua trupe, João Castelo e acastelados, Jackson Lago e seus alagados tem o prazo de validade há tempos vencido.
Por isso, em verdade a verdade vos digo, o nascimento de uma nova cultura política está em curso de materialização, onde no momento o projeto das forças progressistas lideradas por Flávio Dino são a mais pura expressão dessas evidências.
Nós somos os senhores de nossos destinos!
Nós somos os capitães de nossas almas!
Nós somos os donos de nossos votos!
Em nome da audácia da esperança!
Flávio Dino Governador do Maranhão 2010!
Ricardo André
Mestre em Gestão Desportiva pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto-Portugal.